Jornal Correio de Notícias

Página Inicial | Fala Leitor

Fala Leitor

Os próximos quatro anos serão essenciais

Fim da Copa do Mundo e agora os nossos olhos brasileiros se voltam para as eleições presidenciais que vão acontecer em outubro. Não temos tempo para deixar passar mais quatro anos para pensarmos em resolver a situação da segurança pública no Brasil. O Atlas da Violência de 2018 - divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e Fórum Brasileiro de Segurança Pública – nos trouxe um recorde histórico de 62.517 homicídios no ano de 2016, batendo a marca alarmante de 30 homicídios para cada 100 habitantes. Se providências realmente eficazes não forem tomadas, o cenário será catastrófico.

Ainda não se sabe, apesar de faltar pouco mais de três meses, quem serão realmente os candidatos, mas deixemos de lado as ideologias e embates de esquerda ou direita, bons e maus. Precisamos prestar atenção no que é concreto. Em quais são as propostas de cada candidato. Precisamos focar na vida e não em meras discussões que mais parecem brigas de torcidas organizadas.

O que o seu candidato preferido pensa sobre as políticas públicas voltadas para segurança, educação, saúde, saneamento básico e transporte?

Todos estes tópicos influenciam diretamente no controle destes números absurdos da violência no país. É na falta destes direitos básicos que a criminalidade cresce. É no vácuo em que o Estado deixa quando não consegue prover o que todo o cidadão merece que as facções criminosas se enraízam e assumem o poder. Quando não se tem educação, não se consegue emprego, falta dinheiro e o tráfico aparece como ‘salvação’.

Além disso, são necessárias propostas que fortaleçam todas as áreas, criando meios para que as esferas municipal, estadual e federal conversem e articulem informações. Uma política integrada pode diminuir o abismo entre cada região do Brasil e construir um crescimento sustentável para todos. Na criminalidade, por exemplo, a troca de dados pode auxiliar a desbancar criminosos que agem em todo o país e, na maioria dos casos, também fora dos nossos limites.

Logicamente que o problema não será resolvido de um dia para outro, mas os investimentos precisam ser feitos agora e nós, a população, temos a oportunidade de influir diretamente nisso. É a hora de tomarmos a rédea da situação e ajudarmos o nosso país e nossos filhos a terem um futuro diferente da guerra que vemos todos os dias estampadas nos jornais.

Para que sejamos realmente eficazes, precisamos estudar as propostas de todos e entender quais se ajustam mais para um país digno. E depois disso cobrar para que elas sejam colocadas em prática. Deixar de lado as opiniões polêmicas dos candidatos e focar no que cada um pretende fazer se eleitos.

Nos últimos dez anos, 553 mil pessoas perderam suas vidas por causa da violência. São duas eleições e meia para presidente. Mais de duas oportunidades, sem contar as eleições para prefeito, vereador e senador que aconteceram neste meio tempo. Ganharemos, em outubro, mais uma chance para ajudar a mudar o nosso futuro.

Marco Antônio Barbosa - especialista em segurança e diretor da CAME do Brasil

 

O impacto da negociação na vida pessoal e profissional

Patrícia Lisboa - Head Trainer e Hacker Comportamental *
Negociar bem não é dom, é aprendizado. É claro que algumas pessoas têm mais facilidade do que outras para essa prática, mas é fato que qualquer pessoa pode se capacitar para isso. Na realidade, grande parte das interações cotidianas são uma série de negociações com outras pessoas. Estamos negociando quando definimos com os amigos o que fazer no sábado à noite, por exemplo, ou acertamos com a família quem irá pagar as contas de casa, ou com um colega de trabalho quem vai realizar uma determinada tarefa.
Essa prática faz parte do nosso dia a dia, mas, por fazemos tão naturalmente, nem sempre percebemos. Quando conseguimos identificar isso e, principalmente, quando trabalhamos a negociação, temos mais chances de ser bem-sucedidos e alcançar os resultados esperados, tanto no meio profissional quanto no pessoal.
Quando compreendemos a negociação como um processo de persuasão e de tomada de decisões entre dois ou mais atores na busca pela solução de um problema em comum ou de barganha sobre algo, conseguimos trabalhá-la a nosso favor. Principalmente, porque existem técnicas para isso. Aprender a utilizar essa metodologia a fim de criar ou reivindicar valor em meio a processos comerciais ou mesmo pessoais é um diferencial para qualquer pessoa, especialmente em um mundo cada vez mais competitivo. Essa habilidade deve ser praticada sempre que possível, sobretudo para evitar conflitos.
Além dos métodos para se trabalhar a negociação, a pessoa precisa compreender que, para o sucesso de qualquer interação bem-sucedida, é importante que haja transparência. Somente ao colocar na mesa os interesses de todos os envolvidos é possível maximizar o resultado para ambas as partes. O planejamento também é fundamental para os bons resultados de uma negociação. Um bom negociador aprende mais sobre seu interlocutor e consegue definir, de antemão, os objetivos e os limites que podem ser alcançados ao longo do processo.
Outro ponto importante é saber ouvir ativamente. Atentar para as necessidades, objetivos e posições do outro. Escutar o outro com atenção permite identificar oportunidades para argumentar e, principalmente, para oferecer soluções criativas e objetivos, que podem ser ainda melhores do que as imaginadas previamente.
Quem aprende a negociar com técnica e respeito ao outro é capaz de trabalhar as informações de forma mais prática e direcionada. Sabe argumentar, se posicionar e mostrar as melhores opções. A pessoa que consegue fazer isso naturalmente atinge o objetivo esperado, consegue ter um resultado positivo.
Negociar é técnica, é estudo, é treino. É descobrir habilidades e aprender a trabalhá-las em favor de si mesmo e do outro. Em casa, no trabalho, em qualquer lugar.
-----------------------
* Patrícia Lisboa é consultora especializada em comunicação e no desenvolvimento de líderes, equipes e carreirasPatrícia Lisboa - Head Trainer e Hacker Comportamental *

Negociar bem não é dom, é aprendizado. É claro que algumas pessoas têm mais facilidade do que outras para essa prática, mas é fato que qualquer pessoa pode se capacitar para isso. Na realidade, grande parte das interações cotidianas são uma série de negociações com outras pessoas. Estamos negociando quando definimos com os amigos o que fazer no sábado à noite, por exemplo, ou acertamos com a família quem irá pagar as contas de casa, ou com um colega de trabalho quem vai realizar uma determinada tarefa.

Essa prática faz parte do nosso dia a dia, mas, por fazemos tão naturalmente, nem sempre percebemos. Quando conseguimos identificar isso e, principalmente, quando trabalhamos a negociação, temos mais chances de ser bem-sucedidos e alcançar os resultados esperados, tanto no meio profissional quanto no pessoal.

Quando compreendemos a negociação como um processo de persuasão e de tomada de decisões entre dois ou mais atores na busca pela solução de um problema em comum ou de barganha sobre algo, conseguimos trabalhá-la a nosso favor. Principalmente, porque existem técnicas para isso. Aprender a utilizar essa metodologia a fim de criar ou reivindicar valor em meio a processos comerciais ou mesmo pessoais é um diferencial para qualquer pessoa, especialmente em um mundo cada vez mais competitivo. Essa habilidade deve ser praticada sempre que possível, sobretudo para evitar conflitos.

Além dos métodos para se trabalhar a negociação, a pessoa precisa compreender que, para o sucesso de qualquer interação bem-sucedida, é importante que haja transparência. Somente ao colocar na mesa os interesses de todos os envolvidos é possível maximizar o resultado para ambas as partes. O planejamento também é fundamental para os bons resultados de uma negociação. Um bom negociador aprende mais sobre seu interlocutor e consegue definir, de antemão, os objetivos e os limites que podem ser alcançados ao longo do processo.

Outro ponto importante é saber ouvir ativamente. Atentar para as necessidades, objetivos e posições do outro. Escutar o outro com atenção permite identificar oportunidades para argumentar e, principalmente, para oferecer soluções criativas e objetivos, que podem ser ainda melhores do que as imaginadas previamente.

Quem aprende a negociar com técnica e respeito ao outro é capaz de trabalhar as informações de forma mais prática e direcionada. Sabe argumentar, se posicionar e mostrar as melhores opções. A pessoa que consegue fazer isso naturalmente atinge o objetivo esperado, consegue ter um resultado positivo.

Negociar é técnica, é estudo, é treino. É descobrir habilidades e aprender a trabalhá-las em favor de si mesmo e do outro. Em casa, no trabalho, em qualquer lugar.

-----------------------
* Patrícia Lisboa é consultora especializada em comunicação e no desenvolvimento de líderes, equipes e carreiras
Negociar bem não é dom, é aprendizado. É claro que algumas pessoas têm mais facilidade do que outras para essa prática, mas é fato que qualquer pessoa pode se capacitar para isso. Na realidade, grande parte das interações cotidianas são uma série de negociações com outras pessoas. Estamos negociando quando definimos com os amigos o que fazer no sábado à noite, por exemplo, ou acertamos com a família quem irá pagar as contas de casa, ou com um colega de trabalho quem vai realizar uma determinada tarefa.

Essa prática faz parte do nosso dia a dia, mas, por fazemos tão naturalmente, nem sempre percebemos. Quando conseguimos identificar isso e, principalmente, quando trabalhamos a negociação, temos mais chances de ser bem-sucedidos e alcançar os resultados esperados, tanto no meio profissional quanto no pessoal.

Quando compreendemos a negociação como um processo de persuasão e de tomada de decisões entre dois ou mais atores na busca pela solução de um problema em comum ou de barganha sobre algo, conseguimos trabalhá-la a nosso favor. Principalmente, porque existem técnicas para isso. Aprender a utilizar essa metodologia a fim de criar ou reivindicar valor em meio a processos comerciais ou mesmo pessoais é um diferencial para qualquer pessoa, especialmente em um mundo cada vez mais competitivo. Essa habilidade deve ser praticada sempre que possível, sobretudo para evitar conflitos.

Além dos métodos para se trabalhar a negociação, a pessoa precisa compreender que, para o sucesso de qualquer interação bem-sucedida, é importante que haja transparência. Somente ao colocar na mesa os interesses de todos os envolvidos é possível maximizar o resultado para ambas as partes. O planejamento também é fundamental para os bons resultados de uma negociação. Um bom negociador aprende mais sobre seu interlocutor e consegue definir, de antemão, os objetivos e os limites que podem ser alcançados ao longo do processo.

Outro ponto importante é saber ouvir ativamente. Atentar para as necessidades, objetivos e posições do outro. Escutar o outro com atenção permite identificar oportunidades para argumentar e, principalmente, para oferecer soluções criativas e objetivos, que podem ser ainda melhores do que as imaginadas previamente.

Quem aprende a negociar com técnica e respeito ao outro é capaz de trabalhar as informações de forma mais prática e direcionada. Sabe argumentar, se posicionar e mostrar as melhores opções. A pessoa que consegue fazer isso naturalmente atinge o objetivo esperado, consegue ter um resultado positivo.

Negociar é técnica, é estudo, é treino. É descobrir habilidades e aprender a trabalhá-las em favor de si mesmo e do outro. Em casa, no trabalho, em qualquer lugar.

Patrícia Lisboa - consultora especializada em comunicação e no desenvolvimento de líderes, equipes e carreiras
 

Temer decreta o atraso

Ë impressionante a competência do atual Governo no seu deliberado propósito de liquidar com avanços históricos. Esses avanços foram conquistados através de gerações, com muita luta, ã custa da prisão, tortura e assassinato de líderes.

Vejamos alguns ítens do programa antipovo do atual Governo.

1 – Está pretendendo realizar uma reforma trabalhista que reduzirá os direitos dos trabalhadores. A resistência do mundo operário está sendo muito grande, o que poderá levar o Governo a uma derrota.

2 – O Governo está tendo o desplante de desrespeitar a gravidez, brutalidade que até mesmo governos conservadores não praticararam para que seus líderes não passarem à História com a etiqueta de monstros.

3 – Ainda o atual governo (com letra minúscula) deseja esvaziar o currículo das escolas de disciplinas que formam a consciência crítica, pois a consciência crítca é capaz de opor-se aos retrocessos. Escola que ensine apenas técnicas – lidar com máquinas, fazer contas, repetir sem refletir – é escola bastante adequada para que prospere o projeto antipopular e escravagista em andamento no Brasil de hoje.

Fui professor de uma disciplina que se chamava Organização Social e Política do Brasil (OSPB). Alguns de meus alunos tornaram-se figuras importantes na política, em sindicatos, na imprena. Tive a alegria de constatar que, na condicão de professor, havia contribuído para a opção que fizeram na vida.

Os mestres ganham mal porém ninguém lhes furta esta glória. Nenhuma profissão é tão importante num país quanto a de professor, em todos os graus de ensino – primário, secundário e superior.

Os crimes ocupam hoje o noticiário de jornais, emissoras e radio e televisão. Os protagonistas desses episódios nao tiveram a chance de frequentar uma boa escola. Estiveram, desde a infância, à margem de cuidados. Constatei este fato através de uma pesquisa que veio a ser publicada em livro com o título – Crime, tratamento sem prisão.

Um grande programa de excelente educacao do povo previne a delinquencia e custa muito mais barato que a manutenção dos presídios.

É atual a advertência do grande escritor e pensador francês Victor Hugo – quem abre uma escola fecha uma prisão.

João Baptista Herkenhoff é magistrado aposentado (ES), professor aposentado (UFES) e escritor.

E-mail:  Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

Site: www.palestrantededireito.com.br

 

Araçá Rosa

Quando caminhamos pelos parques da nossa cidade é algumas ruas você vê vários frutinhos no chão de cor avermelhada e não damos nem bola. E o Araçá planta da nossa Mata Atlântica e uma arvore nativa da nossa cidade e dá o nome para um arroio dão conhecido que é o arroio Araçá por ter tido nas suas margens muitos pés desta árvore por isso o seu nome.
O seu nome vem das palavras tupi-guarani que significa: Ará - fruta + eçá- olhos referindo-se sépalas, persistentes que parecem formarem cílios.
Mas vamos falar um pouco sobre está arvore dão simpática ela pertence a família das Mirtaceae mesma família das Pitangueiras também uma planta muito comum em nosso município. O seu uso é variado como regeneração de florestas como recuperação de nascentes e seu fruto são súber saborosos que podem ser usados para fazer geleias e sucos, ela tem o seu uso medicinal como um antipiotico natural e um diurético natural.
Em outros momentos o Araçá quase entrou em extinção na região por sua madeira muito usada para fazer cabos de ferramentas e o seu uso para construção civil e também o seu emprego em madeira para lenha.Mas vamos falar a verdade  o araçá e uma árvore muito bela para arborização urbana para nossas ruas e nossos parques. Aonde você vê os sabias e os bendé vis sé alimentando dos seus frutos.
E uma árvore que um verdadeiro patrimônio ambiental da nossa cidade e um belo exemplo da nossa biodiversidade. E uma árvore expressa um simbolismo na cultura do nosso município de Canoas.
Walter Kuhne Junior -Ambientalista.

 

Metafisica das Abelhas

O trabalho das Abelhas pode ser enquadrado dentro do segredo maravilhoso da natureza com ritmo e funções fantásticas, ou misticas, obedecem uma vida e um ideal dentro da natureza. As abelhas já não são encaradas como simples produtoras de mel e cêra, vivem em sociedade harmônica construída com princípios e em números de até 100.000 indivíduos numa só família com uma célula gigante e o núcleo central do protoplasma é representado pela rainha.
O características de uma colônia de abelhas é que sua função de atividade coordenadas e harmônicas partem de um ponto central de um núcleo central à periferia como uma força secreta que parte dentro de uma força psíquica à periferia, para expandir o plano desta força central no mundo exterior imediato; da mesma maneira como força e équilibrio harmônico dos astros e sistemas planetários,se expande de uma força central psíquica á periferia. Uma colmeia ou enxame funciona sob os mesmos princípios de equilíbrio como um gigantesco universo se apoia num núcleo "central" metafisico chamado Deus para dai irradiar ao mundo exterior imediato toda sua beleza e funções de equilíbrio harmônico.
Do mais poderoso telescópio mergulhando na profundeza do micro mundo encontramos também ali a força célula central numa simples limalha de ferro seu elemento protôn, neutros ou elétrons se equilibram ao redor de sua fôrça central chamada núcleo ou rainha das abelhas. A força germinativa do ser humano, animal ou da semente para uma árvore gigante, é um trabalho metafisico e metapsíquico com o nome simbólico de Deus, é está força de equilíbrio harmônico escapa ao microscópio mais potente, e só pode ser concebida por meios metafísicos e psíquicos cujo o germe repousa em todos os sere, tendo o homem o privilegio de poder desenvolver em si está força e pô-la em pratica em sua vida diária.
Walter kuhne Junior - Ambientalista

 

Gambá Urbano

Mamífero comum nas cidades muitos falam que é um transmissor de doenças e um comedor de galinha e um animal que leva uma fama não muito boa. Mas o Gamba e rodeado por lendas e mitos o animal não faz mau a niquem ao contrario e muito útil.
O seu nome comum deve ter originado da língua tupi-guarani e vem de guámbá, gã,bá ou guaambá, que quer dizer ventre aperto, ou saco vazio, fazendo menção á sua barriga oca por causa da bolsa onde cria os filhotes.
Tipico das Américas, e um mamífero marsupial, como o canguru australiano e a cuíca no Norte do Brasil. E um animal que sé adapta muito bem aos centros urbanos como bairros, sítios e fundos de quintal com alguns aparecendo no Parque Eduardo Gomes sendo muitas vezes atacados por cachorros.
Também é erroneamente chamado de "raposa" em boa parte do Brasil, principalmente na região sul por talvez de forma eventual de atacar algum galinheiro.
A maioria das especies possui hábito noturno e uma dieta onivera, que pode incluir frutos, insetos, raízes, vermes, crustáceos em áreas de mangue moluscos, néctar e pequenos vertebrados (sapos, lagartos, serpentes, ovos e aves). E considerado um dos maiores predadores de escorpião, até mais do que a galinha. Colabora no controle das especies consideradas pragas para a agricultura como roedores e insetos.
São também bons dispersores de semente através das fezes, ajudando a natureza a plantar o que o homem destrói. Na natureza têm como principal predador o gato do mato e nas cidades são frequentemente atropelados por terem a visão ofuscada pelo os farões de carro e nas casas e parques e atacado por cães ou morto pelo ser humano de forma cruel e estúpida.
Não e um animal perigoso para o homem sendo até muito útil como parceiro ambiental.
Walter Kuhne Junior - Ambientalista

 
Página 1 de 29

Publicidade

Publicidade

Blogs

Enquete

Você é favor da convocação de Eleições Gerais no Brasil
 

Twitter CN

    Newsletter

    Expediente

    EXPEDIENTE
    Rua Santos Ferreira, 50
    Canoas - RS
    CEP 92020-000
    Fone: (51) 3032-3190
    e-mail: redacao@jornal
    correiodenoticias.com.br

    Banner
    Banner
    Banner

    TurcoDesign - Agencia de Publicidade Digital