Jornal Correio de Notícias

Página Inicial | Entretenimento

Entretenimento

Landau apresenta novo repertório “Luau do Landau” em Canoas, com músicas inéditas e autorais

Com toda a astúcia em desbancar rótulos no meio musical, o cantor e compositor Landau, lança músicas inéditas e autorais no “Luau do Landau”.

Com mais de 15 anos de estrada e em seu 8º lançamento, o autor do hit Lata Velha (tema do quadro do programa Caldeirão do Huck que completa 10 anos), já dividiu os microfones com personalidades como Zeca Baleiro, Zé Geraldo e Eduardo Araújo têm se tornado um dos principais nomes da música independente no Brasil.

Dessa vez, o 3º DVD é gravado em Arraial D´Ajuda (BA), na paradisíaca praia da Pitinga.  Cenário imprevisível pra quem acompanha a carreira do artista, que teve no último CD, a inspiração no Hard Rock dos anos 70

Quem conhece o estilo do Landau, sabe que mesmo no novo formato, a sua essência está sempre ali: traz uma liberdade em conceito e cria o seu próprio, levantando a bandeira do rock rural.

Não é novidade que o Brasil sempre foi rico em misturas. Mas dizer, há algumas décadas, que misturar Bob Dylan, fragmentos da psicodelia hippie woodstockiana como Eagles e Zé Ramalho era uma missão impossível. E o rock rural, híbrido, apareceu para somar tudo isso à personalidade assumidamente caipira.

Agora, a poesia é mais forte do que o rifle. “Esse novo projeto acontece numa atmosfera mais limpa, pra alinhar mais a ideia de VERDADE das letras do repertório. Não é balada, nem romântico, fala de ganhos e perdas com os altos e baixos da vida”, divide Landau.

A música autoral e inédita “Guerreiro da Luz” homenageia a mãe durante a dificuldade que viveu na luta contra o câncer, simbolizando a força, o foco e a fé: “Segure a minha mão, a caminhada é longa pra seguir. Eu te conto aquela história dos anjos da Pedra da Cruz”. Neto Rockefeller, de renome internacional, deixa sua marca e explora a clássica guitarra dos filmes de Velho Oeste de Clint Eastwood, que retratam histórias de índios e cowboys, o caminho do meio que Landau sempre andou.

Com arranjos redondos, a faixa “Tudo sempre dá certo traz um otimismo importante de existir, entre trancos e barrancos: “Foi preciso começar pelo fim, me perder pelo meio, pra perceber que quanto mais erro, dá certo. Tudo sempre dá certo”.

Amor sem Fim” e “Buraco e Quebra Mola”, músicas autorais já clássicas do artista, ganham a versão do Luau com tanto encaixe que parecem ter nascido no projeto.

As influências de Landau podem circular entre o country, o rock e o blues mundial como Johnny Cash, Bob Dylan, Creedence e Eric Clapton. Na veia nacional, o artista valoriza o blues brasileiro como de Celso Blues Boy e também o Argentino Pappo´s Blues, e especialmente para este projeto, o “Luau do Landau” veste ainda mais a camisa da MPB, por fazer uma homenagem aos rebeldes e clássicos da vertente que influenciaram a sua estrada.

Além de canções autorais, aproveita para apresentar releituras criativas das fortes letras atemporais dos artistas: Zé RamalhoRaul SeixasZé Geraldo, Sá e Guarabyra, Belchior entre outros.

Quem tiver em Canoas dia 19 de novembro, poderá conferir o show do Landau e novo repertório no Brechó Pub.

Luau do Landau em Canoas

Dia 19/11 em Brechó Pub

Às 21h

R$ 10 entrada

R. Felipe de Noronha, 285 - Mal. Rondon, Canoas – RS

 

Concerto de encerramento da Feira do Livro de Porto Alegre acontece neste domingo

A série Concertos Comunitários realiza neste domingo, às 11h, no Teatro Carlos Urbim, o Concerto de encerramento da 62a edição da Feira do Livro de Porto Alegre. A apresentação, com patrocínio do Grupo Zaffari e realização da Opus Promoções e do Ministério da Cultura, marca o último fim de semana do evento literário.Com regência do maestro Evandro Matté, o concerto terá participação da Orquestra Unisinos Anchieta, do solista Rafael Gubert e da soprano Elisa Lopes interpretando clássicos do cinema. No repertório, estão as trilhas sonoras dos filmes O Poderoso Chefão, A Noviça Rebelde e Casablanca, além de canções das animações infantis A Bela Adormecida, Tarzan e O Rei Leão.  A entrada é franca. Confira o serviço completo abaixo.Orquestra Unisinos AnchietaFundada em 1996, pelo Maestro José Pedro Boéssio, a Orquestra Unisinos Anchieta realiza uma programação artística diversificada, atendendo a diferentes perfis de público, buscando a renovação de ideias, abordagens e leituras, além de promover associações inesperadas pela música de concerto, contemporânea e popular. A proposta, além da simples oferta de apresentação da orquestra, objetiva garantir o acesso não apenas à música de concerto, mas a outras linguagens vinculadas às raízes musicais brasileiras e ao repertório de importantes compositores populares. Vencedora do Prêmio Açorianos de Música em 2005, a orquestra entrega ao público o diferencial de espetáculos com inclusão de outras linguagens cênicas, tais como, teatro, dança e artes plásticas. Importantes concertistas e músicos de distintos estilos atuaram com a orquestra, entre eles Altamiro Carrilho, Emmanuele Baldini, Fred Mills, Kleiton & Kledir, Pierre Dutot, Renato Borghetti, Yang Liu, entre outros. Nos últimos anos, a Orquestra Unisinos Anchieta tem apresentado diferentes séries de concerto, com destaque para as óperas Il Campanello di Notte e Rita (Donizetti) e Bastien Bastienne (Mozart). A direção artística e regência da orquestra estão sob a responsabilidade do maestro Evandro Matté.Evandro Matté | RegenteÉ diretor artístico e maestro da Orquestra Unisinos Anchieta; diretor artístico e maestro da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre e diretor artístico do Festival Internacional SESC de Música, que acontece em Pelotas. Realizou sua formação musical na UFRGS, na University of Georgia (EUA) e no Conservatoire de Bordeaux (FRA). Trompetista da Ospa desde 1990, é também coordenador cultural da Unisinos.  Esteve à frente de orquestras do Uruguai, Estados Unidos, Argentina, França, China, República Checa e Alemanha. É coordenador do Show Musical Anchieta e do projeto social Vida com Arte, que atende 250 crianças, proporcionando inclusão social através da música. É pós-graduado em Gestão Empresarial.Elisa Lopes | SopranoGraduada em Música (ênfase em canto lírico) pela UFRGS, a soprano porto-alegrense Elisa Lopes atuou como solista com as principais orquestras do Rio Grande do Sul. Destacam-se importantes concertos e montagens de ópera com a OSPA, Orquestra Unisinos e OSUCS. Trabalhou em master classes e festivais sob a orientação de renomados professores de canto como Neyde Thomas, Luisa Gianinni e Homero Velho.Rafael Gubert | SolistaFoi vocalista do Akashic, banda que lhe proporcionou experiência internacional e que conta com dois CDs. Em 2001, foi premiado com o Oscar della Musica em Roma, na Itália. Em 2002 participou da gravação do CD Gemini do guitarrista português Paulo Barros, que foi lançado na Europa pela Point – Music e na América do Sul pela Hellion Records. Desde 2003, realiza trabalho acústico com Tita Sachet e desde 2008 é vocalista da banda  Hardrockers. Em agosto de 2014, cantou Angelotti na Tosca da OSPA, no Theatro São Pedro, sob a regência de Enrique Ricci (Argentina) e Sharpless em Madama Butterfly, com a Orquestra Filarmônica da PUCRS, sob a regência de Mario Perusso (Argentina). Em 2015, foi solista ao lado de Bibi Ferreira no Concerto do Dia das Mães, sob a regência de Evandro Matté, com a Orquestra Unisinos Anchieta, no Auditório Araújo Vianna.Orquestra Unisinos AnchietaRegência: Evandro MattéViolinosBrigitta CalloniFabrício BassoGabriel CorreaGean VeigaGeraldo Moori | SpallaIris AndradeKauê TrojanLeonardo BockRosane BenícioSilvane GuerraSilvio SouzaViolasAndré MeneghelloNaila Cristina D. da SilvaMaria F. CanabarroTiago NeskeVioloncelosDiego S. BiasibettiDouglas AraujoContrabaixosMárcio FischFábio AlvesFlautaFabiane OliveiraOboéViktória TatourPercussãoDouglas GutjahrPianoDaniel BenitzProdução: Cinara Beineke, David Castro, Fábio Kremer e Katielle HendlerSecretaria executiva: Ana Cristina FronerSERVIÇOCONCERTO DE ENCERRAMENTO DA FEIRA DO LIVRODia 13 de novembroDomingo, às 11h62ª Feira do Livro de Porto AlegreTeatro Carlos Urbim (Av. Sepúlveda entre Av. Mauá e Rua Siqueira Campos)ENTRADA FRANCA
A série Concertos Comunitários realiza neste domingo, às 11h, no Teatro Carlos Urbim, o Concerto de encerramento da 62a edição da Feira do Livro de Porto Alegre. A apresentação, com patrocínio do Grupo Zaffari e realização da Opus Promoções e do Ministério da Cultura, marca o último fim de semana do evento literário.
Com regência do maestro Evandro Matté, o concerto terá participação da Orquestra Unisinos Anchieta, do solista Rafael Gubert e da soprano Elisa Lopes interpretando clássicos do cinema. No repertório, estão as trilhas sonoras dos filmes O Poderoso Chefão, A Noviça Rebelde e Casablanca, além de canções das animações infantis A Bela Adormecida, Tarzan e O Rei Leão.  A entrada é franca. Confira o serviço completo abaixo.
Orquestra Unisinos Anchieta
Fundada em 1996, pelo Maestro José Pedro Boéssio, a Orquestra Unisinos Anchieta realiza uma programação artística diversificada, atendendo a diferentes perfis de público, buscando a renovação de ideias, abordagens e leituras, além de promover associações inesperadas pela música de concerto, contemporânea e popular. A proposta, além da simples oferta de apresentação da orquestra, objetiva garantir o acesso não apenas à música de concerto, mas a outras linguagens vinculadas às raízes musicais brasileiras e ao repertório de importantes compositores populares. Vencedora do Prêmio Açorianos de Música em 2005, a orquestra entrega ao público o diferencial de espetáculos com inclusão de outras linguagens cênicas, tais como, teatro, dança e artes plásticas. Importantes concertistas e músicos de distintos estilos atuaram com a orquestra, entre eles Altamiro Carrilho, Emmanuele Baldini, Fred Mills, Kleiton & Kledir, Pierre Dutot, Renato Borghetti, Yang Liu, entre outros. Nos últimos anos, a Orquestra Unisinos Anchieta tem apresentado diferentes séries de concerto, com destaque para as óperas Il Campanello di Notte e Rita (Donizetti) e Bastien Bastienne (Mozart). A direção artística e regência da orquestra estão sob a responsabilidade do maestro Evandro Matté.
Evandro Matté | Regente
É diretor artístico e maestro da Orquestra Unisinos Anchieta; diretor artístico e maestro da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre e diretor artístico do Festival Internacional SESC de Música, que acontece em Pelotas. Realizou sua formação musical na UFRGS, na University of Georgia (EUA) e no Conservatoire de Bordeaux (FRA). Trompetista da Ospa desde 1990, é também coordenador cultural da Unisinos.  Esteve à frente de orquestras do Uruguai, Estados Unidos, Argentina, França, China, República Checa e Alemanha. É coordenador do Show Musical Anchieta e do projeto social Vida com Arte, que atende 250 crianças, proporcionando inclusão social através da música. É pós-graduado em Gestão Empresarial.
Elisa Lopes | Soprano
Graduada em Música (ênfase em canto lírico) pela UFRGS, a soprano porto-alegrense Elisa Lopes atuou como solista com as principais orquestras do Rio Grande do Sul. Destacam-se importantes concertos e montagens de ópera com a OSPA, Orquestra Unisinos e OSUCS. Trabalhou em master classes e festivais sob a orientação de renomados professores de canto como Neyde Thomas, Luisa Gianinni e Homero Velho.
Rafael Gubert | Solista
Foi vocalista do Akashic, banda que lhe proporcionou experiência internacional e que conta com dois CDs. Em 2001, foi premiado com o Oscar della Musica em Roma, na Itália. Em 2002 participou da gravação do CD Gemini do guitarrista português Paulo Barros, que foi lançado na Europa pela Point – Music e na América do Sul pela Hellion Records. Desde 2003, realiza trabalho acústico com Tita Sachet e desde 2008 é vocalista da banda  Hardrockers. Em agosto de 2014, cantou Angelotti na Tosca da OSPA, no Theatro São Pedro, sob a regência de Enrique Ricci (Argentina) e Sharpless em Madama Butterfly, com a Orquestra Filarmônica da PUCRS, sob a regência de Mario Perusso (Argentina). Em 2015, foi solista ao lado de Bibi Ferreira no Concerto do Dia das Mães, sob a regência de Evandro Matté, com a Orquestra Unisinos Anchieta, no Auditório Araújo Vianna.
Orquestra Unisinos Anchieta
Regência: Evandro Matté
Violinos
Brigitta Calloni
Fabrício Basso
Gabriel Correa
Gean Veiga
Geraldo Moori | Spalla
Iris Andrade
Kauê Trojan
Leonardo Bock
Rosane Benício
Silvane Guerra
Silvio Souza
Violas
André Meneghello
Naila Cristina D. da Silva
Maria F. Canabarro
Tiago Neske
Violoncelos
Diego S. Biasibetti
Douglas Araujo
Contrabaixos
Márcio Fisch
Fábio Alves
Flauta
Fabiane Oliveira
Oboé
Viktória Tatour
Percussão
Douglas Gutjahr
Piano
Daniel Benitz
Produção: Cinara Beineke, David Castro, Fábio Kremer e Katielle Hendler
Secretaria executiva: Ana Cristina Froner
SERVIÇO
CONCERTO DE ENCERRAMENTO DA FEIRA DO LIVRO
Dia 13 de novembro
Domingo, às 11h
62ª Feira do Livro de Porto Alegre
Teatro Carlos Urbim (Av. Sepúlveda entre Av. Mauá e Rua Siqueira Campos)
ENTRADA FRANCA

A série Concertos Comunitários realiza neste domingo, às 11h, no Teatro Carlos Urbim, o Concerto de encerramento da 62a edição da Feira do Livro de Porto Alegre. A apresentação, com patrocínio do Grupo Zaffari e realização da Opus Promoções e do Ministério da Cultura, marca o último fim de semana do evento literário.Com regência do maestro Evandro Matté, o concerto terá participação da Orquestra Unisinos Anchieta, do solista Rafael Gubert e da soprano Elisa Lopes interpretando clássicos do cinema. No repertório, estão as trilhas sonoras dos filmes O Poderoso Chefão, A Noviça Rebelde e Casablanca, além de canções das animações infantis A Bela Adormecida, Tarzan e O Rei Leão.  A entrada é franca. Confira o serviço completo abaixo.Orquestra Unisinos AnchietaFundada em 1996, pelo Maestro José Pedro Boéssio, a Orquestra Unisinos Anchieta realiza uma programação artística diversificada, atendendo a diferentes perfis de público, buscando a renovação de ideias, abordagens e leituras, além de promover associações inesperadas pela música de concerto, contemporânea e popular. A proposta, além da simples oferta de apresentação da orquestra, objetiva garantir o acesso não apenas à música de concerto, mas a outras linguagens vinculadas às raízes musicais brasileiras e ao repertório de importantes compositores populares. Vencedora do Prêmio Açorianos de Música em 2005, a orquestra entrega ao público o diferencial de espetáculos com inclusão de outras linguagens cênicas, tais como, teatro, dança e artes plásticas. Importantes concertistas e músicos de distintos estilos atuaram com a orquestra, entre eles Altamiro Carrilho, Emmanuele Baldini, Fred Mills, Kleiton & Kledir, Pierre Dutot, Renato Borghetti, Yang Liu, entre outros. Nos últimos anos, a Orquestra Unisinos Anchieta tem apresentado diferentes séries de concerto, com destaque para as óperas Il Campanello di Notte e Rita (Donizetti) e Bastien Bastienne (Mozart). A direção artística e regência da orquestra estão sob a responsabilidade do maestro Evandro Matté.Evandro Matté | RegenteÉ diretor artístico e maestro da Orquestra Unisinos Anchieta; diretor artístico e maestro da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre e diretor artístico do Festival Internacional SESC de Música, que acontece em Pelotas. Realizou sua formação musical na UFRGS, na University of Georgia (EUA) e no Conservatoire de Bordeaux (FRA). Trompetista da Ospa desde 1990, é também coordenador cultural da Unisinos.  Esteve à frente de orquestras do Uruguai, Estados Unidos, Argentina, França, China, República Checa e Alemanha. É coordenador do Show Musical Anchieta e do projeto social Vida com Arte, que atende 250 crianças, proporcionando inclusão social através da música. É pós-graduado em Gestão Empresarial.Elisa Lopes | SopranoGraduada em Música (ênfase em canto lírico) pela UFRGS, a soprano porto-alegrense Elisa Lopes atuou como solista com as principais orquestras do Rio Grande do Sul. Destacam-se importantes concertos e montagens de ópera com a OSPA, Orquestra Unisinos e OSUCS. Trabalhou em master classes e festivais sob a orientação de renomados professores de canto como Neyde Thomas, Luisa Gianinni e Homero Velho.Rafael Gubert | SolistaFoi vocalista do Akashic, banda que lhe proporcionou experiência internacional e que conta com dois CDs. Em 2001, foi premiado com o Oscar della Musica em Roma, na Itália. Em 2002 participou da gravação do CD Gemini do guitarrista português Paulo Barros, que foi lançado na Europa pela Point – Music e na América do Sul pela Hellion Records. Desde 2003, realiza trabalho acústico com Tita Sachet e desde 2008 é vocalista da banda  Hardrockers. Em agosto de 2014, cantou Angelotti na Tosca da OSPA, no Theatro São Pedro, sob a regência de Enrique Ricci (Argentina) e Sharpless em Madama Butterfly, com a Orquestra Filarmônica da PUCRS, sob a regência de Mario Perusso (Argentina). Em 2015, foi solista ao lado de Bibi Ferreira no Concerto do Dia das Mães, sob a regência de Evandro Matté, com a Orquestra Unisinos Anchieta, no Auditório Araújo Vianna.Orquestra Unisinos AnchietaRegência: Evandro MattéViolinosBrigitta CalloniFabrício BassoGabriel CorreaGean VeigaGeraldo Moori | SpallaIris AndradeKauê TrojanLeonardo BockRosane BenícioSilvane GuerraSilvio SouzaViolasAndré MeneghelloNaila Cristina D. da SilvaMaria F. CanabarroTiago NeskeVioloncelosDiego S. BiasibettiDouglas AraujoContrabaixosMárcio FischFábio AlvesFlautaFabiane OliveiraOboéViktória TatourPercussãoDouglas GutjahrPianoDaniel BenitzProdução: Cinara Beineke, David Castro, Fábio Kremer e Katielle HendlerSecretaria executiva: Ana Cristina FronerSERVIÇOCONCERTO DE ENCERRAMENTO DA FEIRA DO LIVRODia 13 de novembroDomingo, às 11h62ª Feira do Livro de Porto AlegreTeatro Carlos Urbim (Av. Sepúlveda entre Av. Mauá e Rua Siqueira Campos)ENTRADA FRANCA

A série Concertos Comunitários realiza neste domingo, às 11h, no Teatro Carlos Urbim, o Concerto de encerramento da 62a edição da Feira do Livro de Porto Alegre. A apresentação, com patrocínio do Grupo Zaffari e realização da Opus Promoções e do Ministério da Cultura, marca o último fim de semana do evento literário.

Com regência do maestro Evandro Matté, o concerto terá participação da Orquestra Unisinos Anchieta, do solista Rafael Gubert e da soprano Elisa Lopes interpretando clássicos do cinema. No repertório, estão as trilhas sonoras dos filmes O Poderoso Chefão, A Noviça Rebelde e Casablanca, além de canções das animações infantis A Bela Adormecida, Tarzan e O Rei Leão.  A entrada é franca. Confira o serviço completo abaixo.

Orquestra Unisinos Anchieta

Fundada em 1996, pelo Maestro José Pedro Boéssio, a Orquestra Unisinos Anchieta realiza uma programação artística diversificada, atendendo a diferentes perfis de público, buscando a renovação de ideias, abordagens e leituras, além de promover associações inesperadas pela música de concerto, contemporânea e popular. A proposta, além da simples oferta de apresentação da orquestra, objetiva garantir o acesso não apenas à música de concerto, mas a outras linguagens vinculadas às raízes musicais brasileiras e ao repertório de importantes compositores populares. Vencedora do Prêmio Açorianos de Música em 2005, a orquestra entrega ao público o diferencial de espetáculos com inclusão de outras linguagens cênicas, tais como, teatro, dança e artes plásticas. Importantes concertistas e músicos de distintos estilos atuaram com a orquestra, entre eles Altamiro Carrilho, Emmanuele Baldini, Fred Mills, Kleiton & Kledir, Pierre Dutot, Renato Borghetti, Yang Liu, entre outros. Nos últimos anos, a Orquestra Unisinos Anchieta tem apresentado diferentes séries de concerto, com destaque para as óperas Il Campanello di Notte e Rita (Donizetti) e Bastien Bastienne (Mozart). A direção artística e regência da orquestra estão sob a responsabilidade do maestro Evandro Matté.

Evandro Matté | Regente

É diretor artístico e maestro da Orquestra Unisinos Anchieta; diretor artístico e maestro da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre e diretor artístico do Festival Internacional SESC de Música, que acontece em Pelotas. Realizou sua formação musical na UFRGS, na University of Georgia (EUA) e no Conservatoire de Bordeaux (FRA). Trompetista da Ospa desde 1990, é também coordenador cultural da Unisinos.  Esteve à frente de orquestras do Uruguai, Estados Unidos, Argentina, França, China, República Checa e Alemanha. É coordenador do Show Musical Anchieta e do projeto social Vida com Arte, que atende 250 crianças, proporcionando inclusão social através da música. É pós-graduado em Gestão Empresarial.

Elisa Lopes | Soprano

Graduada em Música (ênfase em canto lírico) pela UFRGS, a soprano porto-alegrense Elisa Lopes atuou como solista com as principais orquestras do Rio Grande do Sul. Destacam-se importantes concertos e montagens de ópera com a OSPA, Orquestra Unisinos e OSUCS. Trabalhou em master classes e festivais sob a orientação de renomados professores de canto como Neyde Thomas, Luisa Gianinni e Homero Velho.

Rafael Gubert | Solista

Foi vocalista do Akashic, banda que lhe proporcionou experiência internacional e que conta com dois CDs. Em 2001, foi premiado com o Oscar della Musica em Roma, na Itália. Em 2002 participou da gravação do CD Gemini do guitarrista português Paulo Barros, que foi lançado na Europa pela Point – Music e na América do Sul pela Hellion Records. Desde 2003, realiza trabalho acústico com Tita Sachet e desde 2008 é vocalista da banda  Hardrockers. Em agosto de 2014, cantou Angelotti na Tosca da OSPA, no Theatro São Pedro, sob a regência de Enrique Ricci (Argentina) e Sharpless em Madama Butterfly, com a Orquestra Filarmônica da PUCRS, sob a regência de Mario Perusso (Argentina). Em 2015, foi solista ao lado de Bibi Ferreira no Concerto do Dia das Mães, sob a regência de Evandro Matté, com a Orquestra Unisinos Anchieta, no Auditório Araújo Vianna.

Orquestra Unisinos Anchieta

Regência: Evandro Matté

Violinos

Brigitta Calloni

Fabrício Basso

Gabriel Correa

Gean Veiga

Geraldo Moori | Spalla

Iris Andrade

Kauê Trojan

Leonardo Bock

Rosane Benício

Silvane Guerra

Silvio Souza

Violas

André Meneghello

Naila Cristina D. da Silva

Maria F. Canabarro

Tiago Neske

Violoncelos

Diego S. Biasibetti

Douglas Araujo

Contrabaixos

Márcio Fisch

Fábio Alves

Flauta

Fabiane Oliveira

Oboé

Viktória Tatour

Percussão

Douglas Gutjahr

Piano

Daniel Benitz

Produção: Cinara Beineke, David Castro, Fábio Kremer e Katielle Hendler

Secretaria executiva: Ana Cristina Froner

SERVIÇO

CONCERTO DE ENCERRAMENTO DA FEIRA DO LIVRO

Dia 13 de novembro

Domingo, às 11h

62ª Feira do Livro de Porto Alegre

Teatro Carlos Urbim (Av. Sepúlveda entre Av. Mauá e Rua Siqueira Campos)

ENTRADA FRANCA

 

Fado e Poemas de Fernando Pessoa fazem parte do repertório de shows de Joana Reais, de 10 a 14 de novembro, em Porto Alegre e Canoas

Trata-se de um espetáculo intimista e de encanto, por entre fados clássicos e fados contemporâneos, numa homenagem ao estilo musical português elevado a Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade pela UNESCO que não deixará ninguém indiferente.

Joana Reais, cantora portuguesa radicada em São Paulo desde 2015, é a voz deste elogio à terra que a viu nascer – Lisboa – e das suas interseções por esse mundo fora, acompanhada pelos músicos Beto Chedid na guitarra portuguesa, Diego Costa no violão e Cézar Ferreira no acordeon.

O Fado, antes de ter sido música, era um sentimento português descrito frequentemente nos poemas de Luís de Camões. Como qualquer arte viva, sofreu influências – árabes, irlandesas, escandinavas, brasileiras, africanas – e tem na sua origem ligações com outros estilos musicais. Por esta razão, não será de estranhar que nesta GRANDE NOITE DE FADOS se vislumbre uma milonga, um samba ou até uma valsa.

Ficha Técnica:

Joana Reais: voz e direção musical
Beto Chedid: guitarra portuguesa
Diego Costa: guitarra acústica
Cezar Ferreira: acordeon, como convidado

PESSOA EM MIM, uma interpretação musical para a obra de Fernando Pessoa

O espetáculo PESSOA EM MIM tem a direção artística assinada pela cantora portuguesa Joana Reais que, em conjunto com o violonista e compositor brasileiro Beto Chedid, elaborou uma dramaturgia teatro-musical a partir da obra do maior poeta português do séc. XX.

Este é um espetáculo de canções autorais e algumas releituras de grandes compositores portugueses, exclusivamente composto por poesias de FERNANDO PESSOA.

PESSOA EM MIM procura traduzir em linguagem musical o universo multifacetado, ora duro, ora doce, ora pessimista, ora crente nas sensações como base de toda a arte, ora metafísico, ora à procura do prazer das coisas, do maior poeta português do séc. XX. Nos seus heterônimos, mas, e sobretudo, em Fernando Pessoa, a poesia é dotada de uma nova musicalidade, de uma adjetivação expressiva, de uma pontuação emotiva, de uma grande utilização de comparações, metáforas e oxímoros (vários paradoxos) – afinal de contas, falamos de um dos protagonistas do Modernismo Português.

Embora extremamente expressiva, a linguagem pessoana é simples e fiel à tradição poética lusitana (não longe, muitas vezes, da quadra popular) daí que este espetáculo seja em torno de uma voz. Daí que o foco não seja nem uma instrumentação numerosa, nem um cenário elaborado, mas a emoção. A emoção do dizer, do saber dizer. A interpretação de uma cantora/atriz/performer que navegará por entre verdades e fingimentos, consciências e desilusões, sonhos e realidades.

Ficha Técnica:

Joana Reais: Direção Artística e Voz

Beto Chedid: Guitarra Portuguesa e Violão Acústico 
Diego Costa: Violão Acústico 
Cezar Ferreira: Gaita-ponto (acordeon diatônico) 
Romes Pinheiro: Luz e Som


Serviço:

Grande Noite de Fados-Dia 10 de Novembro, quinta-feira, às 21 horas Greta Café e Bistrô (Av. João Wallig, 788, Porto Alegre - RS)-Dia 11 de novembro, sexta-feira, às 20 horas
Casa das Artes Villa Mimosa (Av. Guilherme Schell, nº 6270, Canoas - RS)-Dia 13 de novembro, domingo, às 20h30min  Café Fon Fon (Rua Vieira de Castro, 22, Porto Alegre - RS)
Pessoa em Mim-Dia 12 de novembro, sábado, às 20 horas
Casa das Artes Villa Mimosa (Av. Guilherme Schell, nº 6270, Canoas - RS)
-Dia 14 de novembro, segunda-feira, às 20 horas
62ª Feira do Livro de Porto Alegre

 

Segredos dos grandes investidores do Brasil são revelados em livro

Após lançamento em São Paulo e no Rio de Janeiro em setembro, o livro “Fora da Curva – Os segredos dos grandes investidores do Brasil e o que você pode aprender com eles” será lançado em Porto Alegre. Haverá uma palestra sobre o livro, feita pelos co-autores Pierre Moreau, sócio da Casa do Saber, e Giuliana Napolitano, editora da revista Exame, na Apimec-Sul (Rua General Câmara 243, 3º andar - Centro Histórico), no dia 9 de novembro, às 18h30. Para confirmar presença, contatar pelo e-mail Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. .br ou telefone (51) 3224-3121.

Com prefácio de Jorge Paulo Lemann, o livro traz as histórias de dez dos maiores investidores do país. Eles contam como tiveram sucesso no mercado financeiro, falam sobre seus grandes acertos e também sobre seus erros, além de dar conselhos que podem ser seguidos mesmo por quem não entende de finanças. Os dez investidores retratados na obra são:  André Jakurski, Antonio Bonchristiano, Florian Bartunek, Guilherme Aché, Guilherme Affonso Ferreira, José Carlos Reis de Magalhães Neto, Luiz Fernando Figueiredo, Luis Stuhlberger, Meyer Joseph Nigri e Pedro Damasceno.

Fora da Curva, que faz parte da coleção Portfolio Penguin da editora Companhia das Letras,  também está na lista dos dez livros mais vendidos de PublishNews, Veja e Folha de São Paulo. O projeto do livro surgiu a partir de um curso organizado por Pierre Moreau e Florian Bartunek (também co-autor da obra) na Casa do Saber, em 2012.

Para Bartuneck, Moreau e Giuliana, o livro contribui para desmistificar percepções equivocadas sobre o mercado financeiro e seus profissionais. “O tema promove uma reflexão sobre investimentos numa proposta de orientar alunos e investidores em como tomar decisões de risco. A obra é originada de entrevistas realizadas na Casa do Saber, durante o curso Grandes Investidores. A partir de então, desenvolvemos os estudos de caso com a experiência dos dez investidores”, afirma o advogado Pierre Moreau.

“Toda pessoa que ganha mais do que gasta, provavelmente, é um investidor de alguma forma. Uma lição que aprendi cedo é que quanto mais tempo se gasta com seus investimentos, maior a chance de ter bons retornos. A leitura do livro é muito instrutiva nesse sentido, contendo informações e anedotas não disponíveis para o grande público”, destaca o investidor Florian Bartunek.

Já a jornalista Giuliana Napolitano ressalta que o livro não é voltado somente para especialistas, mas também destina-se ao público leigo que deseja obter maior conhecimento no assunto. “É um livro interessante que se destaca pelo relato da trajetória profissional dos entrevistados. Por isso, é leitura recomendada tanto para quem se interessa por investimentos e queira entender mais sobre a lógica do mercado financeiro quanto para universitários e aqueles que pensam em seguir uma carreira na área.”

Programa de Lançamento Fora da Curva em Porto Alegre

Data: 09 de novembro de 2016, quarta-feira

Horário: 18h30

Local: Apimec-Sul (Rua General Câmara 243, 3º andar - Centro Histórico)

Debate com a participações de Pierre Moreau e Giuliana Napolitano.

 

Enfim Sós Últimas apresentações

A TrupeZonaDeTeatro realiza neste final de semana as últimas apresentações do espetáculo Enfim Sós - uma tragicomédia clownesca. As sessões ocorrem às 20h, na Sala Álvaro Moreyra, em Porto Alegre. A montagem utiliza a linguagem do clown para falar de um tema caro ao ser humano: a relação a dois. O casamento é tomado como ambiente emblemático, onde sentimentos intensos e controversos são partilhados, em constante tensão, mas temperado com muito humor.

Com atuações de Fábio Castilhos e Melissa Dornelles, tendo como diretora convidada Luciane Olendzki e assistência de direção de Giovanna Zottis, a dramaturgia foi construída a partir das improvisações dos atores e de relatos biográficos de histórias de amor, coletadas na pesquisa realizada com os moradores do Lar Maria de Nazaré, da Associação de Cegos Louis Braille (ACELB) e na atividade Amor (re)partido - uma ação performática na Usina do Gasômetro, que coletou relatos e histórias de amor, de pessoas que voluntariamente queriam compartilhar, improvisados pelos atores/palhaços e o músico responsável pela trilha sonora do espetáculo.

No saguão do teatro, o público é convidada a relatar suas histórias pessoais, envolvendo relacionamentos a dois. Alguns destes relatos são sorteados durante o espetáculo e as situações descritas são improvisadas pelos atores-palhaços. Trava-se um momento de grande interação, intimidade e, não raro, humor entre o público e o elenco. Tomando o amor como temática-base, o grupo investiga a intersecção e os tensionamentos entre o trágico e o cômico na cena teatral.

Ficha Técnica:

Espetáculo: Enfim Sós - Uma Tragicomédia Clownesca

Direção: Luciane Olendzki

Atuação: Fábio Castilhos e Melissa Dornelles

Dramaturgia: Fábio Castilhos, Giovanna Zottis, Luciane Olendzki e Melissa Dornelles.

Assistência de Direção: Giovanna Zottis

Cenografia, Figurinos e Adereços: Margarida Rache e Patrícia Preiss

Trilha Sonora: Sergio Baiano

Criação e Operação de Luz: Bathista Freire

Assessoria de Imprensa: Sílvia Abreu Consultoria Integrada de Marketing

Arte Gráfica: Marcel Trindade

Produção e Realização: TrupeZonaDeTeatro

Duração: 80 minutos

Classificação etária: 14 anos

SERVIÇO:

O Quê: Enfim Sós - Uma tragicomédia clownesca, com Melissa Dorneles e Fábio Castilhos. Direção de Luciane Olendzki.

Quando: De 14 a 30 de outubro de 2016, de sexta a domingo, às 20h.

Onde: Sala Álvaro Moreyra, Centro Municipal de Cultura (Erico Verissimo 307), Porto Alegre-RS

Quanto: R$ 20,00 (inteira). Desconto de 50% para estudantes, idosos, professores e classe artística, mediante apresentação de documento comprobatório.

Venda antecipada: Loja Sirius (Rua da República, 304)

 

Casa de Cultura Mário Quintana abre chamada pública de ocupação

Abrir os espaços da Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ) para toda a classe artística brasileira é a proposta do Ocupa Mario 2017. Grupos, coletivos e artistas independentes devem inscrever seus projetos, sejam eles ensaios ou apresentações, para contar com os teatros, auditório, salas e demais espaços da Casa. As inscrições acontecem de 01 a 31 de outubro de 2016, através do e-mail Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. , para onde devem ser enviadas a ficha de inscrição e demais anexos que expliquem as propostas.
O Regulamento e informações sobre a documentação necessária estão disponíveis no site da CCMQ (www.ccmq.com.br) ou pode ser solicitado pelo e-mail Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. , além de mais esclarecimentos no telefone (51) 3224-2537. Após o envio, esses documentos são avaliados por um conselho artístico que divulgará os selecionados a partir do dia 1 de dezembro.
Anteriormente, o processo de ocupação dos espaços da Casa de Cultura Mario Quintana se dava através de agendamento, o que, nem sempre contemplava todo o Estado, ou mesmo, dependia de uma análise dos objetivos específicos das propostas.
Em 2015 foram realizadas três (3) Chamadas Públicas: Fevereiro, Maio e uma Extra em Setembro, a cada Chamada foram sendo aperfeiçoados os mecanismos de escolha e regulamento, sempre escutando sugestões, a fim de, chegar a um chamamento cada vez mais democrático e transparente.
Agora, com a Camada Pública 2017, os artistas concorrem mais democraticamente, já que todos passarão por avaliação multidisciplinar não importando quais foram os primeiros que solicitaram a ocupação da casa.
De acordo com o diretor da CCMQ, Émerson Martínez Fortes, a ideia é resgatar o real objetivo da instituição, que é de troca de experiências e apropriação dos seus espaços por todos os artistas. “Destaco a importância deste processo seletivo que faz com que todos os artistas concorram em grau de igualdade. Este é um reencontro do real objetivo de pluralizar, de sediar diferentes movimentos e produções culturais existentes no Estado. Aqui, artistas de diferentes regiões gaúchas devem se sentir representados, acolhidos e bem vindos”, explica.
COMO SERÃO AVALIADOS OS PROJETOS?
O Conselho Consultivo Artístico leva em conta critérios de seleção como concepção geral do projeto, relevância conceitual e temática, currículo dos integrantes, inovação, originalidade e ineditismo da proposta, quantidade de apresentações e adequação aos espaços do centro cultural. O Conselho Consultivo Artístico será composto por um representante de cada Colegiado Setorial do Estado, são eles: Artesanato, Audiovisual, Culturas Populares, Livro, Memória e Patrimônio, Museus, Música, Teatro, Circo e Dança.
Não será permitida participação de funcionários da CCMQ, membros do Conselho Consultivo Artística e parentes até 1º grau (ascendente, descendente, colateral - direto = pais, irmãos e filhos). Ainda, 20% das vagas serão destinadas para projetos que envolvam grupos de deficientes, idosos, situação de vulnerabilidade social e LGBT.
CRONOGRAMA
Divulgação da Chamada: 15/09 à 30/09/2016
Período de Recebimento das Propostas: 01 à 31/10/2016
Triagem das Propostas: 01/11 e 03/11/2016
Análise e Seleção das Propostas: 04/11 à 30/11/2016
Divulgação dos Selecionados: 01/12/2016
Agendamento das Propostas Selecionadas: 02/12 à 23/12/2016
Ocupação: A partir de 03/01/2017
SOBRE A CASA:
Casa de Cultura Mario Quintana é uma instituição ligada à Secretaria de Estado da Cultura/Governo do Estado do Rio Grande do Sul.
A história da Casa de Cultura Mario Quintana tem início em julho de 1980, com a compra do antigo prédio do Hotel Majestic, pelo Banrisul. Em 29 de dezembro de 1982, o governo do Estado adquiriu o Majestic do Banrisul e, um ano mais tarde, o prédio foi arrolado como patrimônio histórico, tendo início, a partir de então, sua transformação em Casa de Cultura. Por meio da Lei estadual nº 7.803 de 8 de julho de 1983, recebeu a denominação de Mario Quintana, passando a fazer parte da então Subsecretaria de Cultura do Estado
Os espaços da Casa de Cultura Mario Quintana estão voltados para o cinema, a música, as artes visuais, a dança, o teatro, a literatura, a realização de oficinas e eventos ligados à cultura. Eles homenageiam grandes nomes da cultura do Estado do Rio Grande do Sul.

Abrir os espaços da Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ) para toda a classe artística brasileira é a proposta do Ocupa Mario 2017. Grupos, coletivos e artistas independentes devem inscrever seus projetos, sejam eles ensaios ou apresentações, para contar com os teatros, auditório, salas e demais espaços da Casa. As inscrições acontecem de 01 a 31 de outubro de 2016, através do e-mail Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. , para onde devem ser enviadas a ficha de inscrição e demais anexos que expliquem as propostas.

O Regulamento e informações sobre a documentação necessária estão disponíveis no site da CCMQ (www.ccmq.com.br) ou pode ser solicitado pelo e-mail Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. , além de mais esclarecimentos no telefone (51) 3224-2537. Após o envio, esses documentos são avaliados por um conselho artístico que divulgará os selecionados a partir do dia 1 de dezembro.

Anteriormente, o processo de ocupação dos espaços da Casa de Cultura Mario Quintana se dava através de agendamento, o que, nem sempre contemplava todo o Estado, ou mesmo, dependia de uma análise dos objetivos específicos das propostas.

Em 2015 foram realizadas três (3) Chamadas Públicas: Fevereiro, Maio e uma Extra em Setembro, a cada Chamada foram sendo aperfeiçoados os mecanismos de escolha e regulamento, sempre escutando sugestões, a fim de, chegar a um chamamento cada vez mais democrático e transparente.

Agora, com a Camada Pública 2017, os artistas concorrem mais democraticamente, já que todos passarão por avaliação multidisciplinar não importando quais foram os primeiros que solicitaram a ocupação da casa.

De acordo com o diretor da CCMQ, Émerson Martínez Fortes, a ideia é resgatar o real objetivo da instituição, que é de troca de experiências e apropriação dos seus espaços por todos os artistas. “Destaco a importância deste processo seletivo que faz com que todos os artistas concorram em grau de igualdade. Este é um reencontro do real objetivo de pluralizar, de sediar diferentes movimentos e produções culturais existentes no Estado. Aqui, artistas de diferentes regiões gaúchas devem se sentir representados, acolhidos e bem vindos”, explica.

COMO SERÃO AVALIADOS OS PROJETOS?

O Conselho Consultivo Artístico leva em conta critérios de seleção como concepção geral do projeto, relevância conceitual e temática, currículo dos integrantes, inovação, originalidade e ineditismo da proposta, quantidade de apresentações e adequação aos espaços do centro cultural. O Conselho Consultivo Artístico será composto por um representante de cada Colegiado Setorial do Estado, são eles: Artesanato, Audiovisual, Culturas Populares, Livro, Memória e Patrimônio, Museus, Música, Teatro, Circo e Dança.

Não será permitida participação de funcionários da CCMQ, membros do Conselho Consultivo Artística e parentes até 1º grau (ascendente, descendente, colateral - direto = pais, irmãos e filhos). Ainda, 20% das vagas serão destinadas para projetos que envolvam grupos de deficientes, idosos, situação de vulnerabilidade social e LGBT.

CRONOGRAMA

Divulgação da Chamada: 15/09 à 30/09/2016

Período de Recebimento das Propostas: 01 à 31/10/2016

Triagem das Propostas: 01/11 e 03/11/2016

Análise e Seleção das Propostas: 04/11 à 30/11/2016

Divulgação dos Selecionados: 01/12/2016

Agendamento das Propostas Selecionadas: 02/12 à 23/12/2016

Ocupação: A partir de 03/01/2017

SOBRE A CASA:

Casa de Cultura Mario Quintana é uma instituição ligada à Secretaria de Estado da Cultura/Governo do Estado do Rio Grande do Sul.

A história da Casa de Cultura Mario Quintana tem início em julho de 1980, com a compra do antigo prédio do Hotel Majestic, pelo Banrisul. Em 29 de dezembro de 1982, o governo do Estado adquiriu o Majestic do Banrisul e, um ano mais tarde, o prédio foi arrolado como patrimônio histórico, tendo início, a partir de então, sua transformação em Casa de Cultura. Por meio da Lei estadual nº 7.803 de 8 de julho de 1983, recebeu a denominação de Mario Quintana, passando a fazer parte da então Subsecretaria de Cultura do Estado

Os espaços da Casa de Cultura Mario Quintana estão voltados para o cinema, a música, as artes visuais, a dança, o teatro, a literatura, a realização de oficinas e eventos ligados à cultura. Eles homenageiam grandes nomes da cultura do Estado do Rio Grande do Sul.

 
Página 6 de 138

Publicidade

Publicidade

Blogs

Enquete

Você é favor da convocação de Eleições Gerais no Brasil
 

Twitter CN

    Newsletter

    Expediente

    EXPEDIENTE
    Rua Santos Ferreira, 50
    Canoas - RS
    CEP 92020-000
    Fone: (51) 3032-3190
    e-mail: redacao@jornal
    correiodenoticias.com.br

    Banner
    Banner
    Banner

    TurcoDesign - Agencia de Publicidade Digital