Jornal Correio de Notícias

Página Inicial | Destaques

Destaques

Deflagrada Operação Setor 1 contra o roubo de veículos na Região Metropolitana

 

A Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos de Canoas (DFRV), da Polícia Civil, deflagrou, na manhã desta terça-feira, 30 de agosto, a Operação Setor 1, visando à desarticulação de um grupo criminoso especializado no roubo de veículos. Três pessoas foram presas, além de carro, arma, munição e drogas apreendidas. Objetos de procedência suspeita também foram localizados. Um dos indivíduos que já tinha mandado de prisão, também foi preso em flagrante por tráfico de drogas.
De acordo com o delegado Thiago Bennemann, o grupo é responsável por diversas ocorrências de roubo de veículos na Região Metropolitana de Porto Alegre. O destaque ficou com o modus operandi dos suspeitos que ia além do roubo à mão armada e a subtração do veículo. "Eles escolhiam o alvo, faziam a abordagem, sequestravam a vítima e se dirigiam até sua residência, de onde roubavam também seus pertences", relatou o delegado.
Ainda de acordo com Bennemann, o fruto das ações criminosas desse grupo, costumava ser trocado por entorpecentes, de modo a financiar o tráfico de drogas para os integrantes. Um dos alvos principais da operação desta terça, foi morto na madrugada do último domingo (28), no bairro Guajuviras em Canoas, possivelmente devido a conflitos com outra facção e disputa pelo tráfico. "Ele foi encontrado com cerca de oito disparos de arma de fogo no rosto", afirmou Bennemann.
Cerca de 70 policiais civis da 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana  (DPRM/Canoas) e da 3ª DPRM participaram do cumprimento de 16 mandados judiciais, dos quais 11 de busca e apreensão e cinco de prisão, em Canoas, Nova Santa Rita e zona sul de Porto Alegre. A ação também contou com apoio de policiais da Brigada Militar. Os presos foram conduzidos à Central de Polícia em Canoas e após os procedimentos serão encaminhados ao sistema prisional.

 

A Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos de Canoas (DFRV), da Polícia Civil, deflagrou, na manhã desta terça-feira, 30 de agosto, a Operação Setor 1, visando à desarticulação de um grupo criminoso especializado no roubo de veículos. Três pessoas foram presas, além de carro, arma, munição e drogas apreendidas. Objetos de procedência suspeita também foram localizados. Um dos indivíduos que já tinha mandado de prisão, também foi preso em flagrante por tráfico de drogas.

De acordo com o delegado Thiago Bennemann, o grupo é responsável por diversas ocorrências de roubo de veículos na Região Metropolitana de Porto Alegre. O destaque ficou com o modus operandi dos suspeitos que ia além do roubo à mão armada e a subtração do veículo. "Eles escolhiam o alvo, faziam a abordagem, sequestravam a vítima e se dirigiam até sua residência, de onde roubavam também seus pertences", relatou o delegado.

Ainda de acordo com Bennemann, o fruto das ações criminosas desse grupo, costumava ser trocado por entorpecentes, de modo a financiar o tráfico de drogas para os integrantes. Um dos alvos principais da operação desta terça, foi morto na madrugada do último domingo (28), no bairro Guajuviras em Canoas, possivelmente devido a conflitos com outra facção e disputa pelo tráfico. "Ele foi encontrado com cerca de oito disparos de arma de fogo no rosto", afirmou Bennemann.

Cerca de 70 policiais civis da 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana  (DPRM/Canoas) e da 3ª DPRM participaram do cumprimento de 16 mandados judiciais, dos quais 11 de busca e apreensão e cinco de prisão, em Canoas, Nova Santa Rita e zona sul de Porto Alegre. A ação também contou com apoio de policiais da Brigada Militar. Os presos foram conduzidos à Central de Polícia em Canoas e após os procedimentos serão encaminhados ao sistema prisional.

Última atualização ( Ter, 30 de Agosto de 2016 12:53 )
 

Programa Tatu-bola realiza expedição pelo cânion do Rio Poty

Sucesso: essa é a palavra que resume os dez dias de expedição do Programa Tatu-bola pelo cânion do Rio Poti. Pesquisadores e biólogos defensores da espécie estiveram em Crateús, sertão cearense, cheios de esperança e entusiasmo. O motivo? Identificar áreas de ocorrência do tatu-bola, mamífero presente na Caatinga e em algumas florestas do Cerrado brasileiro, ameaçado de extinção e categorizado como vulnerável na lista vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), que identifica espécies ameaçadas. A ação faz parte do Programa de Conservação do Tatu-bola, apoiado pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza e coordenado pela Associação Caatinga. O programa foi lançado em março deste ano na sede da Federação das Indústrias do Estado do Ceará, em Fortaleza. *

Os pesquisadores fizeram o reconhecimento da área por onde a expedição passou e exploraram sítios arqueológicos na Serra da Baleia em busca de vestígios do animal. O primeiro dia de expedição já começou promissor: à noite, período de maior atividade da espécie, encontraram um tatu-bola e coletaram amostras necessárias para o estudo, além de analisarem o local onde foi encontrado. Também foram realizadas entrevistas com moradores da região a fim de sondar em quais áreas a espécie é avistada.

A equipe realizou o levantamento de um novo sítio arqueológico e encontrou outra espécie rara da Caatinga: o urubu-rei. As descobertas fortalecem o trabalho do Programa Tatu-bola para a conservação da espécie e de seu habitat.

No sábado, 6 de agosto, à noite, acompanhados dos moradores da comunidade do Bebedouro, os pesquisadores encontraram mais um tatu-bola, dessa vez uma fêmea. No domingo, saíram para Conceição dos Marreiros, onde estiveram acampados.

A pesquisadora Flávia Miranda afirma que a missão da expedição foi cumprida. “Voltamos com a sensação de dever cumprido. Em mais de 1.000 km de Caatinga percorridos nos últimos 10 dias, encontramos cinco exemplares de tatus-bola, ao todo, catalogamos vários sítios arqueológicos e mapeamos o futuro Parque Nacional do Rio Poti. São resultados extremamente positivos”, destaca.

A expedição ao cânion do Rio Poti chegou ao fim no dia 11, trouxe descobertas satisfatórias e mais confiança para dar continuidade ao trabalho do Programa Tatu-bola.

 

Diagnóstico de doenças degenerativas da ATM é um desafio

Localizada na frente da orelha de cada lado da face, a articulação temporomandibular (ATM) permite os complexos movimentos mastigatórios. Diversos problemas podem atingir essa estrutura, que faz a conexão entre a mandíbula e os ossos do crânio. A osteoartrite ou doença articular degenerativa é um dos subtipos de disfunção da ATM. Embora seja mais prevalente em faixas etárias mais avançadas, essa patologia pode ocorrer em qualquer idade. Geralmente, o diagnóstico é um desafio para os profissionais da área.
A especialista em Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial e membro da SBDOF, Liete Zwir, explica que a alteração degenerativa pode acontecer quando há uma sobrecarga mecânica na articulação. “ A origem da osteoartrite na ATM é complexa e normalmente envolve vários fatores locais e sistêmicos como: macrotrauma (acidente, batida, queda), microtrauma (parafunções), inflamação prolongada e até predisposição genética”.
A osteoartrite é caracterizada pela progressiva degradação da cartilagem articular e consequente reação do osso que fica abaixo da mesma. De acordo com a cirurgiã-dentista, isto pode representar dor durante a movimentação da boca, mudanças na dinâmica mandibular (dificuldade para abrir a boca e desvios na movimentação) e presença de sons articulares (crepitação). É importante salientar que os sinais e sintomas são variáveis quanto à intensidade entre os indivíduos.
A busca por um profissional apto a fazer o diagnóstico precoce de forma correta é fundamental para o sucesso do tratamento. O foco não deve ser apenas o alívio da dor, mas também o restabelecimento da função. “Não há testes laboratoriais específicos. Na maioria das vezes, a investigação é baseada na história detalhada do paciente e no seu criterioso exame físico. Em alguns casos se faz necessário o pedido de exames de imagem. Porém, é preciso lembrar que as primeiras alterações das doenças degenerativas raramente são visualizadas em uma radiografia. As alterações típicas aparecem após um tempo considerável, o que pode explicar a fraca associação entre as manifestações clínicas e os achados radiográficos. E aí se encontra o nosso grande desafio”, ressalta Drª Liete.
A especialista ainda salienta que debater o assunto é imprescindível para a conscientização da população em geral e dos profissionais da saúde que atuam em áreas que possam estar envolvidas no reconhecimento da doença.
Sobre a SBDOF:Com cerca de 300 membros em todo o Brasil, a Sociedade Brasileira de Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial (SBDOF) conta com profissionais especializados e capacitados para a avaliação dos sinais  sintomas e estabelecimento dos métodos validados para o tratamento das disfunções temporomandibulares e demais dores orofaciais. A sociedade também busca a conscientização da população em geral e dos profissionais da saúde que atuam em áreas que podem estar envolvidas no seu diagnóstico – como, por exemplo, otorrinolaringologistas, neurologistas e reumatologistas – para que todos saibam reconhecer os sinais e sintomas e encontrar um especialista que indicará o caminho correto para cada caso específico.

Localizada na frente da orelha de cada lado da face, a articulação temporomandibular (ATM) permite os complexos movimentos mastigatórios. Diversos problemas podem atingir essa estrutura, que faz a conexão entre a mandíbula e os ossos do crânio. A osteoartrite ou doença articular degenerativa é um dos subtipos de disfunção da ATM. Embora seja mais prevalente em faixas etárias mais avançadas, essa patologia pode ocorrer em qualquer idade. Geralmente, o diagnóstico é um desafio para os profissionais da área.

A especialista em Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial e membro da SBDOF, Liete Zwir, explica que a alteração degenerativa pode acontecer quando há uma sobrecarga mecânica na articulação. “ A origem da osteoartrite na ATM é complexa e normalmente envolve vários fatores locais e sistêmicos como: macrotrauma (acidente, batida, queda), microtrauma (parafunções), inflamação prolongada e até predisposição genética”.

A osteoartrite é caracterizada pela progressiva degradação da cartilagem articular e consequente reação do osso que fica abaixo da mesma. De acordo com a cirurgiã-dentista, isto pode representar dor durante a movimentação da boca, mudanças na dinâmica mandibular (dificuldade para abrir a boca e desvios na movimentação) e presença de sons articulares (crepitação). É importante salientar que os sinais e sintomas são variáveis quanto à intensidade entre os indivíduos.

A busca por um profissional apto a fazer o diagnóstico precoce de forma correta é fundamental para o sucesso do tratamento. O foco não deve ser apenas o alívio da dor, mas também o restabelecimento da função. “Não há testes laboratoriais específicos. Na maioria das vezes, a investigação é baseada na história detalhada do paciente e no seu criterioso exame físico. Em alguns casos se faz necessário o pedido de exames de imagem. Porém, é preciso lembrar que as primeiras alterações das doenças degenerativas raramente são visualizadas em uma radiografia. As alterações típicas aparecem após um tempo considerável, o que pode explicar a fraca associação entre as manifestações clínicas e os achados radiográficos. E aí se encontra o nosso grande desafio”, ressalta Drª Liete.

A especialista ainda salienta que debater o assunto é imprescindível para a conscientização da população em geral e dos profissionais da saúde que atuam em áreas que possam estar envolvidas no reconhecimento da doença.


Sobre a SBDOF:


Com cerca de 300 membros em todo o Brasil, a Sociedade Brasileira de Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial (SBDOF) conta com profissionais especializados e capacitados para a avaliação dos sinais  sintomas e estabelecimento dos métodos validados para o tratamento das disfunções temporomandibulares e demais dores orofaciais. A sociedade também busca a conscientização da população em geral e dos profissionais da saúde que atuam em áreas que podem estar envolvidas no seu diagnóstico – como, por exemplo, otorrinolaringologistas, neurologistas e reumatologistas – para que todos saibam reconhecer os sinais e sintomas e encontrar um especialista que indicará o caminho correto para cada caso específico.

 

Competidores disputam título mais importante da raça Crioula na final do Freio de Ouro

A cidade de Esteio será mais uma vez palco da grande final do Freio de Ouro, mais importante prova de seleção de cavalos Crioulos do Brasil. O evento acontece durante a Expointer 2016, no Parque de Exposições Assis Brasil, de 25 a 28 de agosto. A feira é uma das mais tradicionais do agronegócio da América Latina.

Organizado pela Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC), a reta final da competição terá 96 fortes concorrentes de todo o país, o que aumentará o clima de disputa e a expectativa da comunidade apaixonada pelos cavalos crioulos. A narração oficial do Freio de Ouro será de Sandro Fávero e Valéria Maciel, do Canal Rural, com Rodrigo Py e Frederico Araújo, técnicos da ABCCC, como comentaristas.

“Narrações ao vivo sempre demandam atenção de toda a equipe envolvida. Em competições da magnitude do Freio de Ouro, o ritmo se molda à evolução das provas. Por mais que a gente tente manter o equilíbrio, não há como segurar a emoção. A responsabilidade de traduzir esse sentimento em palavras é enorme”, destaca Fávero.
Presente no Freio de Ouro há 17 anos, o Canal Rural promete cobertura multiplataforma histórica, com exibições ao vivo da disputa final, no domingo (28), a partir das 9h, além dos principais flashes da grande final e bastidores na internet pelas redes sociais (www.facebook.com/freiodeouro), Lance Rural (http://www.lancerural.com.br/) e Canal Rural X (http://www.canalrural.com.br/pagina/ao-vivo-canalruralx.html).
Para Júlio Cargnino, diretor de conteúdo do Canal Rural, a relação do veículo com a comunidade criadora tem se aprofundado, principalmente, porque a exposição de mídia via TV e internet tem contribuído para a popularização e interesse pela raça Crioula. Segundo o executivo, a expectativa é trazer a melhor experiência tanto para o público presente quanto para a audiência que acompanhará o torneio de casa ou pelos dispositivos móveis.
“Teremos a maior equipe da história de nossas transmissões, com 40 pessoas diretamente envolvidas. Também aplicaremos mais tecnologia, com novos recursos para capitação e transmissão em 4K, com qualidade ultra high definition e drones para registrar cada detalhe das provas. Tudo isso muda a estética do que é visto na TV e contribui para a disseminação da cultura da raça Crioula”.
José Luiz Laitano, presidente da ABCCC, também está otimista com a competição. O profissional destaca o importante crescimento do esporte, sobretudo nas regiões Sudeste e Centro-oeste. São Paulo, por exemplo, desponta no número de criadores, com mais de 10 mil cavalos, sendo o maior volume de animais fora da região Sul. “Isso mostra que o interesse sobre o cavalo Crioulo segue aumentando e nos dá a certeza de que o trabalho está no caminho correto", destaca.
Além da final do Freio de Ouro, o Canal Rural também fará a exibição de oito leilões - que prometem movimentar mais de R$ 5 milhões em vendas, segundo estimativa dos organizadores.
Iniciado em março, com 10 classificatórias nacionais em algumas das principais cidades do Brasil, o Freio de Ouro 2016 tem patrocínio de Ipiranga, Massey Ferguson e Ford Ranger, além do apoio de Supra e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-RS).
Sobre o Canal Rural
O Canal Rural, empresa do Grupo J&F, é a principal plataforma de comunicação especializada em agronegócio no Brasil. Além da TV segmentada mais assistida pelos tomadores de decisão do setor, segundo pesquisa Ipsos Marplan (2013), a marca engloba portal de notícias, leilões, eventos, aplicativos e educação para o agronegócio. Lançado em 1996, o Canal Rural leva informação e entretenimento aos milhões de produtores espalhados pelo País e aos "produtores de milhões", que garantem ao setor participação de aproximadamente 25% no PIB brasileiro.
Acompanhe o Canal Rural:
Na TV: são 18 horas diárias de jornalismo, entretenimento e shopping rural. O conteúdo pode ser assistido pelos canais 135 e 185 da NET, 159 da SKY, 112 da Claro TV, pelas operadoras NEO TV, pela parabólica (banda C) ou em tempo real pela Internet, no site www.canalrural.com.br
Na web: canalrural.com.br - noticiário completo sobre agronegócio e vida no campo e www.lancerural.com.br– transmissão de leilões e eventos como congressos, seminários e premiações.
Nas redes sociais: www.facebook.com/canalrural|www.twitter.com/canalrural
Serviço
Grande Final do Freio de Ouro 2016
Data: 25 a 28 de agosto
Onde: Parque de Exposições Assis Brasil, na EXPOINTER
Endereço: BR-116, Km 13, s/n - Novo Esteio - Esteio, Rio Grande
Ingressos: R$ 6 (pedestres) / R$ 3 (estudantes/idosos)

“Narrações ao vivo sempre demandam atenção de toda a equipe envolvida. Em competições da magnitude do Freio de Ouro, o ritmo se molda à evolução das provas. Por mais que a gente tente manter o equilíbrio, não há como segurar a emoção. A responsabilidade de traduzir esse sentimento em palavras é enorme”, destaca Fávero.

Presente no Freio de Ouro há 17 anos, o Canal Rural promete cobertura multiplataforma histórica, com exibições ao vivo da disputa final, no domingo (28), a partir das 9h, além dos principais flashes da grande final e bastidores na internet pelas redes sociais (www.facebook.com/freiodeouro), Lance Rural (http://www.lancerural.com.br/) e Canal Rural X (http://www.canalrural.com.br/pagina/ao-vivo-canalruralx.html).

Para Júlio Cargnino, diretor de conteúdo do Canal Rural, a relação do veículo com a comunidade criadora tem se aprofundado, principalmente, porque a exposição de mídia via TV e internet tem contribuído para a popularização e interesse pela raça Crioula. Segundo o executivo, a expectativa é trazer a melhor experiência tanto para o público presente quanto para a audiência que acompanhará o torneio de casa ou pelos dispositivos móveis.

“Teremos a maior equipe da história de nossas transmissões, com 40 pessoas diretamente envolvidas. Também aplicaremos mais tecnologia, com novos recursos para capitação e transmissão em 4K, com qualidade ultra high definition e drones para registrar cada detalhe das provas. Tudo isso muda a estética do que é visto na TV e contribui para a disseminação da cultura da raça Crioula”.

José Luiz Laitano, presidente da ABCCC, também está otimista com a competição. O profissional destaca o importante crescimento do esporte, sobretudo nas regiões Sudeste e Centro-oeste. São Paulo, por exemplo, desponta no número de criadores, com mais de 10 mil cavalos, sendo o maior volume de animais fora da região Sul. “Isso mostra que o interesse sobre o cavalo Crioulo segue aumentando e nos dá a certeza de que o trabalho está no caminho correto", destaca.

Além da final do Freio de Ouro, o Canal Rural também fará a exibição de oito leilões - que prometem movimentar mais de R$ 5 milhões em vendas, segundo estimativa dos organizadores.

Iniciado em março, com 10 classificatórias nacionais em algumas das principais cidades do Brasil, o Freio de Ouro 2016 tem patrocínio de Ipiranga, Massey Ferguson e Ford Ranger, além do apoio de Supra e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-RS).


Sobre o Canal Rural

O Canal Rural, empresa do Grupo J&F, é a principal plataforma de comunicação especializada em agronegócio no Brasil. Além da TV segmentada mais assistida pelos tomadores de decisão do setor, segundo pesquisa Ipsos Marplan (2013), a marca engloba portal de notícias, leilões, eventos, aplicativos e educação para o agronegócio. Lançado em 1996, o Canal Rural leva informação e entretenimento aos milhões de produtores espalhados pelo País e aos "produtores de milhões", que garantem ao setor participação de aproximadamente 25% no PIB brasileiro.


Acompanhe o Canal Rural:

Na TV: são 18 horas diárias de jornalismo, entretenimento e shopping rural. O conteúdo pode ser assistido pelos canais 135 e 185 da NET, 159 da SKY, 112 da Claro TV, pelas operadoras NEO TV, pela parabólica (banda C) ou em tempo real pela Internet, no site www.canalrural.com.br

Na web: canalrural.com.br - noticiário completo sobre agronegócio e vida no campo e www.lancerural.com.br– transmissão de leilões e eventos como congressos, seminários e premiações.


Nas redes sociais: www.facebook.com/canalrural|www.twitter.com/canalrural


Serviço


Grande Final do Freio de Ouro 2016


Data: 25 a 28 de agosto


Onde: Parque de Exposições Assis Brasil, na EXPOINTER


Endereço: BR-116, Km 13, s/n - Novo Esteio - Esteio, Rio Grande


Ingressos: R$ 6 (pedestres) / R$ 3 (estudantes/idosos)

 


 

 

Texel é primeiro a chegar dos mais de 6 mil animais esperados na Expointer

Considerados as principais atrações da 39ª Expointer, os animais começaram a chegar na manhã desta segunda-feira, 22 de agosto, ao Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio. Para esta edição, são aguardados 4.285 animais de argola, para participar de competições, e 2.087 rústicos em uma das maiores mostras agropecuárias da América Latina. A solenidade de abertura será neste sábado (27) e os portões estarão abertos ao público até o dia 4 de setembro.
O primeiro animal a chegar ao desembarcadouro, pelo segundo ano consecutivo, foi um carneiro da raça Texel de um ano e seis meses da cabanha Oliveira, de Uruguaiana. O ovino, que vai competir na categoria adulto, começou a viagem até Esteio às 2h acompanhado de mais 10 animais. Segundo o cabanheiro Carlos Velásquez, este é o 14º ano que a cabanha participa do evento e a chegada antecipada à feira é uma tradição que traz maior conforto para os animais.
Para o subsecretário do parque, Sérgio Bandoca Foscarini, a recepção e inspeção sanitária em um dia ensolarado demonstra como será o clima da edição. "Ficamos até surpresos porque tivemos um ano atípico, sem a correria das outras edições. Nossa maior preocupação é darmos condições aos animais, mas também aos visitantes, expositores e todos que vêm à Expointer", afirma.
Todos os animais que chegam ao parque devem possuir o Guia de Trânsito Animal (GTA) e estar em dia com as exigências sanitárias conforme a demanda cada espécie. De acordo com o inspetor do Departamento de Defesa Agropecuária, o médico veterinário Revir Milani, o primeiro passo da inspeção é conferir a documentação assim que os animais desembarcam. Depois, são feitos exames para detectar possíveis ectoparasitas (que vivem fora do corpo do hospedeiro) e doenças transmissíveis. Ao todo, são cerca de 150 profissionais trabalhando na inspeção sanitária.
A mostra agropecuária recebe animais de argola até um dia antes da abertura. A partir desta terça-feira (23), a entrada é autorizada das 6h à meia-noite. Já os rústicos, que vão à comercialização, podem ingressar todos os dias da feira.
Expectativas
A comercialização de animais em 2015 registrou aumento de 23% em relação ao ano anterior. Foram R$ 15,5 milhões na venda e R$ 1,7 bilhão em negócios. "Estamos com uma expectativa positiva, mas é claro que hoje vivemos um cenário que traz preocupações e impacto no número de negócios. Fizemos grande esforço para melhorar a estrutura do parque e buscamos economizar no que fosse possível. Aqui não há somente a troca de negócios, mas também de conhecimento e uma integração muito forte entre o campo e a cidade", destacou o secretário de Agricultura, Pecuária e Irrigação, Ernani Polo.
Entre os esforços para economizar nesta edição está a redução do número de diárias. De acordo com o secretário, os gastos devem chegar a R$ 300 mil, uma diminuição significativa se considerar a edição 2014 que atingiu mais de R$ 800 mil em diárias. Já entre as melhorias, estão dois novos lavadouros - um para equinos e outro para gado de corte - e a iluminação nas ruas do parque, que será gerada a partir de energia solar.

Considerados as principais atrações da 39ª Expointer, os animais começaram a chegar na manhã desta segunda-feira, 22 de agosto, ao Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio. Para esta edição, são aguardados 4.285 animais de argola, para participar de competições, e 2.087 rústicos em uma das maiores mostras agropecuárias da América Latina. A solenidade de abertura será neste sábado (27) e os portões estarão abertos ao público até o dia 4 de setembro.

O primeiro animal a chegar ao desembarcadouro, pelo segundo ano consecutivo, foi um carneiro da raça Texel de um ano e seis meses da cabanha Oliveira, de Uruguaiana. O ovino, que vai competir na categoria adulto, começou a viagem até Esteio às 2h acompanhado de mais 10 animais. Segundo o cabanheiro Carlos Velásquez, este é o 14º ano que a cabanha participa do evento e a chegada antecipada à feira é uma tradição que traz maior conforto para os animais.

Para o subsecretário do parque, Sérgio Bandoca Foscarini, a recepção e inspeção sanitária em um dia ensolarado demonstra como será o clima da edição. "Ficamos até surpresos porque tivemos um ano atípico, sem a correria das outras edições. Nossa maior preocupação é darmos condições aos animais, mas também aos visitantes, expositores e todos que vêm à Expointer", afirma.

Todos os animais que chegam ao parque devem possuir o Guia de Trânsito Animal (GTA) e estar em dia com as exigências sanitárias conforme a demanda cada espécie. De acordo com o inspetor do Departamento de Defesa Agropecuária, o médico veterinário Revir Milani, o primeiro passo da inspeção é conferir a documentação assim que os animais desembarcam. Depois, são feitos exames para detectar possíveis ectoparasitas (que vivem fora do corpo do hospedeiro) e doenças transmissíveis. Ao todo, são cerca de 150 profissionais trabalhando na inspeção sanitária.

A mostra agropecuária recebe animais de argola até um dia antes da abertura. A partir desta terça-feira (23), a entrada é autorizada das 6h à meia-noite. Já os rústicos, que vão à comercialização, podem ingressar todos os dias da feira.

Expectativas

A comercialização de animais em 2015 registrou aumento de 23% em relação ao ano anterior. Foram R$ 15,5 milhões na venda e R$ 1,7 bilhão em negócios. "Estamos com uma expectativa positiva, mas é claro que hoje vivemos um cenário que traz preocupações e impacto no número de negócios. Fizemos grande esforço para melhorar a estrutura do parque e buscamos economizar no que fosse possível. Aqui não há somente a troca de negócios, mas também de conhecimento e uma integração muito forte entre o campo e a cidade", destacou o secretário de Agricultura, Pecuária e Irrigação, Ernani Polo.

Entre os esforços para economizar nesta edição está a redução do número de diárias. De acordo com o secretário, os gastos devem chegar a R$ 300 mil, uma diminuição significativa se considerar a edição 2014 que atingiu mais de R$ 800 mil em diárias. Já entre as melhorias, estão dois novos lavadouros - um para equinos e outro para gado de corte - e a iluminação nas ruas do parque, que será gerada a partir de energia solar.

 

Não são só elas: 25% dos homens brasileiros já deixaram de economizar para comprar tratamentos de beleza

Uma pesquisa nacional feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) comprova que o homem também deixa de economizar e até mesmo se descontrola na hora das compras de produtos ou serviços relacionados a beleza e estética. Cerca de um quarto (25,4%) dos brasileiros entrevistados afirmam já ter deixado de guardar dinheiro para esse tipo de consumo e outros 6,5% já deixaram até mesmo de cumprir compromissos financeiros para priorizar estas compras.

Afirmando que se esforçam para estar sempre bem vestidos (74,9%) e que acreditam que cuidar da beleza é uma necessidade e não um luxo (61,9%), os homens podem acabar sentindo o impacto do consumo desenfreado de produtos de beleza no bolso: 6,8% dos homens declararam que estão com o nome registrado em serviços de proteção ao crédito por atrasos no pagamento de produtos relacionados à beleza, como roupas, calçados e acessórios, cosméticos, maquiagens, tratamentos estéticos e odontológicos. De acordo com a pesquisa, 31,5% afirmam que costumam comprar itens desse segmento quando não estão muito felizes para se sentirem melhor. Para especialistas, é aí que está o perigo.

“A vaidade e preocupação com a aparência física, se não bem administradas, podem prejudicar a saúde financeira dos consumidores”, afirma o educador financeiro do SPC Brasil, José Vignoli. “De uma forma geral, a pesquisa constata o que muitos pensavam acontecer apenas com as mulheres: o orçamento dos homens também sofre forte impacto em função dos gastos provenientes com os cuidados pessoais e de beleza”, explica.

Para Vignoli, cuidar da aparência é fundamental para manter a autoestima e importante até mesmo para o mercado de trabalho, mas o especialista tem ressalvas: “Isso pode e deve ser feito sem prejudicar o orçamento doméstico. O consumidor pode fazer uma lista de prioridades e ajustar seus hábitos de consumo ao tamanho do bolso”.


Valor médio gasto mensalmente com produtos de beleza é de R$ 95

A pesquisa mostra que os cosméticos mais utilizados no dia a dia pelos homens são principalmente de uso básico, como shampoo (73,1%), perfumes (60,1%) e produtos pré e pós-barba (41,2%). Os principais diferenciais na escolha dos produtos e serviços de beleza são a qualidade (76,3%), o cheiro (68,2%) e o preço (65,5%). O gasto médio com este segmento é de aproximadamente R$ 95 por mês e as compras são feitas principalmente em supermercados ou hipermercados (59,8%), farmácias (41,1%) e com revendedoras de cosméticos (34,5%). A escolha da marca dos produtos leva em consideração marcas conhecidas e associadas a um bom preço (60,2%) e, para a escolha do local de compra, o preço (57,1%), a qualidade (46,5%) e o atendimento (34,0%) são os principais fatores de decisão.

Já os principais locais onde os serviços de cuidados com beleza são realizados são os salões de beleza (45,5%), academia (44,2%) e clínica dermatológica (12,6%), e o tempo passado nestes espaços representam para os homens uma necessidade (39,1%), seguido por satisfação (23,3%).

Considerando a demanda de produtos desse segmento para os próximos três meses, os mais significativos são roupas, calçados e acessórios (47,2%), produtos relacionados aos cuidados com os cabelos, unha e barba (36,2%) e cosméticos em geral para pele, corpo e cabelos (32,7%). Já em relação aos tratamentos de maior valor financeiro que os entrevistados desejam realizar pelos próximos 12 meses, os mais mencionados são clareamento dentário (23,1%), aparelho ortodôntico (20,7%) e porcelana nos dentes (12,6%).

Na categoria de procedimentos mais invasivos, a maioria (57,4%) dos homens nunca realizou algum procedimento. Entre os que já fizeram (42,6%), 86,8% comentaram com conhecidos e não veem problemas nisso, e o tratamento mais usual é o clareamento dentário (30,3%) seguido por porcelana nos dentes (13,5%) e pelo uso de remédios para emagrecer (11,4%). Apesar de terem vontade, mais de seis em cada dez homens (63,5%) nunca realizaram algum procedimento invasivo por falta de dinheiro.

Aproximadamente 73,4% dos entrevistados buscam informações antes de adquirir produtos e serviços relacionados à beleza e estética. As principais fontes para a pesquisa são amigos e familiares (44,6%), seguido por sites especializados (38,8%) e redes sociais (17,6%).


Mercado de beleza para homens é promissor

Entre os principais cuidados que os homens têm para se sentirem mais bonitos e confiantes estão alimentação saudável (43,0%), atividades físicas (41,3%) e cuidados com os dentes (37,5%). Perguntados sobre como se vêem em relação a sua aparência física, 64,9% se consideram normais e apenas 22,0% se enxergam como bonitos. Ainda assim, 47,6% acreditam que o uso de produtos e serviços de beleza podem modificar a própria aparência, evidenciando que uma parcela significativa dos homens percebe o potencial destes artifícios. Para eles, os principais motivos para os cuidados com a beleza são a melhora da autoestima (72,5%) e a percepção de que as outras pessoas respeitam mais quem tem uma boa aparência (25%) – além disso, a maioria dos homens concordam que pessoas parecem profissionais melhores quando estão arrumadas (74,7%).

Para a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, ainda há um mercado enorme a ser conquistado com foco no segmento masculino. “A pesquisa é um indicativo de que empresários do ramo de beleza precisam investir em itens capazes de corresponder às expectativas de qualidade do público masculino, pois eles estão consumindo cada vez mais produtos e serviços de beleza, sejam invasivos ou não. Além dos produtos de consumo básico, há espaço para empresas que sejam inovadoras e tenham plataformas de vendas modernas, seja por e-commerce ou aplicativos”, analisa Kawauti.

 
Página 9 de 145

Publicidade

Publicidade

Blogs

Enquete

Você é favor da convocação de Eleições Gerais no Brasil
 

Twitter CN

    Newsletter

    Expediente

    EXPEDIENTE
    Rua Santos Ferreira, 50
    Canoas - RS
    CEP 92020-000
    Fone: (51) 3032-3190
    e-mail: redacao@jornal
    correiodenoticias.com.br

    Banner
    Banner
    Banner

    TurcoDesign - Agencia de Publicidade Digital