Jornal Correio de Notícias

Página Inicial | Esportes | Popularidade do governo Temer oscila positivamente e aumenta o número de pessoas que aprovam sua maneira de governar, diz pesquisa CNI/IBOPE

Popularidade do governo Temer oscila positivamente e aumenta o número de pessoas que aprovam sua maneira de governar, diz pesquisa CNI/IBOPE

E-mail Imprimir

A aprovação do governo do presidente Michel Temer melhorou na última pesquisa CNI-IBOPE do ano, divulgada nessa quarta-feira, 20 de dezembro. De acordo com o levantamento, o percentual dos entrevistados que consideram o governo ótimo ou bom subiu de 3%, em setembro, para 6%, em dezembro. Já o percentual dos que consideram o governo regular subiu de 16% para 19%. Por outro lado, está menor o grupo dos que classificam o governo como ruim ou péssimo: caiu de 77% para 74%.

A confiança em Temer também está maior. Entre os entrevistados, 9% disseram confiar no presidente em dezembro, contra 6% em setembro. O número dos que não confiam caiu de 92% para 90% e o restante não respondeu. A pesquisa aponta ainda que o percentual de brasileiros que aprovam a maneira do presidente Temer de governar aumentou de 7% para 9% e os que desaprovam passaram de 89% para 88%. O restante não soube ou não quis responder.

Melhora avaliação da população com mais anos de vida

Entre os entrevistados com 55 ou mais anos de idade, a melhora nos indicadores de popularidade do presidente Michel Temer foi mais significativa, ou seja, acima da margem de erro da pesquisa. Entre setembro e dezembro, o percentual dos que avaliam o governo como ótimo ou bom nessa faixa etária cresceu de 4% para 10%, o percentual dos que confiam no presidente subiu de 8% para 14% e o dos que aprovam sua maneira de governar aumentou de 10% para 15%. “Esse grupo da população ficou ainda mais destacado como o estrato de idade que melhor avalia o governo atual”, ressalta a pesquisa.

De acordo com o levantamento, a aceitação do governo Temer é maior entre os homens. A aprovação da maneira de governar é de 12% entre os homens e de 6% entre as mulheres. O  percentual dos homens que consideram o governo como ruim ou péssimo é de 69%, enquanto entre as mulheres é de 76%. E os que avaliam a administração como regular são de 22% em comparação a 16% entre as mulheres.

Na análise por renda familiar, verifica-se que a avaliação do governo Temer é pior entre os entrevistados com renda familiar de até um salário mínimo. Enquanto os demais grupos registram percentuais similares, nesse grupo, o percentual dos que avaliam o governo como ruim ou péssimo é de 79%, enquanto o dos que avaliam como regular, é de 13%.

AVALIAÇÃO POR ÁREA - Verifica-se que não houve mudanças significativas, entre setembro e dezembro, nas nove áreas de atuação do governo avaliadas na pesquisa. Todas as áreas são desaprovadas por pelo menos 75% dos entrevistados. As áreas melhores avaliadas são meio ambiente, combate à inflação e educação, ambas com 17% de aprovação cada. No outro extremo, os impostos, a saúde e a segurança pública são as mais mal avaliadas. Os percentuais de aprovação caem para 8%, 11% e 11%, respectivamente.

A pesquisa CNI-IBOPE ouviu 2.000 pessoas em 127 municípios entre os dias 7 e 10 de dezembro. A margem de erro estimada é de dois pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados.

 

Publicidade

Publicidade

Blogs

Enquete

Você é favor da convocação de Eleições Gerais no Brasil
 

Twitter CN

    Newsletter

    Expediente

    EXPEDIENTE
    Rua Santos Ferreira, 50
    Canoas - RS
    CEP 92020-000
    Fone: (51) 3032-3190
    e-mail: redacao@jornal
    correiodenoticias.com.br

    Banner
    Banner
    Banner

    TurcoDesign - Agencia de Publicidade Digital